Cruz de Beira de Estrada – a eternização da perda.

Quando fui a primeira vez na Paraíba e cruzei de bugre com um amigo a estrada que vai de João Pessoa a Campina Grande a fim de passar o maravilhoso São João (o maior do mundo), vi umas cruzes em casinhas minusculas na beira da estrada, a partir da terceira, a curiosidade aguçou: o que seria aquilo? ele prontamente me respondeu: “são as Cruzes de Estrada, pequenas homenagens dos familiares ou amigos e representam as pessoas que naquele local morreram em acidentes ou assassinadas”.

Foto Cruz sob uma capela no meio do sertão: autoria de Maria Hsu - http://www.flickr.com/photos/mariahsu

São pequenas e tradicionais cruzes, muitas vezes em madeira crua ou pintada, sustentadas por um amontoado de pedras, ou são presas a um bloco de concreto, outras vezes ficam dentro de um oratório de cimento ou taipa. Algumas com flores outras abandonadas no meio do mato seco. Elas são levantadas pelo autor arrependido do crime, pelos familiares do morto ou erigidas por algum devoto que alcançou uma graça solicitada aos céus, aos pés da cruz e em pagamento ele constrói uma mais merecedora.

… Quando uma pessoa morre assim, caída da perversidade um malvado, o povo acredita que a alma dessa pessoa foi logo para o céu, e começa a fazer-lhe “promessas”: acende velas, e coloca flores no lugar em que se deu o crime; às vezes até se levantam capelinhas, onde o povo vem rezar…

As inscrições são feitas em pedaços de madeira de forma triangular no centro do cruzamento ou nos braços da cruz: “Aqui foi assassinado barbaramente o cristão…”

Casa de Taipa com cruz na beira da estrada, Penedo - Alagoas - 1965 : Acervo Digital da Fundação Joaquim Nabuco

Muitas vezes as cruzes são recheadas de mistérios e assombrações que a tornam num boca a boca um lugar sagrado que pode operar milagres. Quem passa por elas, em respeito, tira o chapéu, se benze ou faz uma pequena oração.
Em algumas delas os devotos depositam ex-votos, figuras esculpidas em madeira ou cera, geralmente representando partes do corpo, como testemunho público de gratidão, para pagamento de promessa ou em agradecimento a uma graça alcançada.

Ex-votos depositados nos pés da cruz da beira de estrada - Penedo - Alagoas - 1965 - Foto Acervo Digital da Fundação Joaquim Nabuco

Confesso que fiquei encantado com a diversidade de formas e tamanhos, interrompendo a monotonia da estrada. pra mim era uma novidade o importante sentido desta rica manifestação popular.

Cruzes marcam o local da morte de duas pessoas BR 262 - Foto: Leo Drumond - Projeto Beira de Estrada

Cruz marca o local da morte de um jovem de 25 anos na BR 116 que liga o Rio á Bahia - Foto: Leo Drumond - Projeto Beira de Estrada

Fiquei pensando que cada pequeno templo daquele, carrega uma história de dor e de perda, eternizado ali, disponibilizado a quem quiser prestar sua homenagem, aquela pequena cruz, por vezes abandonada no meio do mato, nos mostra, a cada Km, que devemos olhar cada vez mais pra o ser humano que morre por um assassinato ou uma desatenção deste outro ser humano, que conduz uma máquina de ferro assassina sem responsabilidade, sem respeito ao outro. Os milhares de motoristas que por ali passam, lembram a cada pequena cruz daqueles que ali encerraram de forma cruel as suas vidas. Esta é a intenção destas pequenas manifestações de fé popular.
Fico imaginando se aqui em nossas grandes metrópoles do Sudeste tivéssemos a mesma tradição, nossas estradas seriam cercadas de túmulos coloridos muito juntos, enfeitados de flores, como uma sinalização de transito celeste. Talvez nossa consciência se tornasse um pouco mais “humana”.
DOC TV – Cruz de Beira de Estrada

 

Fontes:

Matéria de Gilvaldar de Campos Monteiro, “Santa crus de beira de estrada“, publicada no Correio de Maceió, em 19 de julho de 1969 e republicada no Jangada Brasil

…”Pois com ela há de casar antes de ser degolado, pagando a ela e a Deus pelo teu crime e pecado — não me entrem na Igreja nem noutro lugar sagrado… mas na beira duma estrada, me pondo na cabeceira a sela do meu cavalo. Quem passar lá de jornada reze por mim desgraçado”…

Blog Overmundo por Joel Ribeiro: a cruz branca da estrada

“Guardou aquele álbum e retornou, um tanto triste, com duas fotos de um rapaz. Um rapaz de físico bem formado, talvez um metro e oitenta, por aí. Bochechas rosadas em derredor de um par de raros olhos azuis. Com a voz cinzelada de nítido sofrimento, disse – nos que aquele era o Renzo, seu filho caçula. Há dois meses, vindo de uma festa à noite, pilotando uma moto, perdera a vida. Lá no asfalto, ladeado de eucaliptos, um pouquinho antes de entrar na estrada para Panorama. Era o morto da cruz branca.”

Acervo Digital da FUNDAJ

Fotos do Projeto: “Beira de Estrada” de Leo  Drumond: Beira de Estrada

Anúncios

5 comentários sobre “Cruz de Beira de Estrada – a eternização da perda.

  1. A fé do povo brasileiro é muito forte e representa um capítulo à parte no campo da arte, o que inclui aí o sincretismo religioso, que é a mistura de várias religiões quase criando uma única. Parabéns pelo post e pelo resgate dessas manifestações populares.
    Referente aos “velhos tempos” que você mencionou no meu blog, eles não são velhos e continuam atuais. Você é que sumiu e não se comunica mais comigo para combinarmos. Aguardo seu contato. Abração!

  2. PARA MIM, É UM DOS MAIORES SIMBOLOS QUE O ESPIRITO RELIGIOSO CRIA,,,,,NO MAIOR MOMENTOS DE UMA DOR, SEM LIMITES E PARA SEMPRE, EXPRESSA EM QUALQUER ENDEREÇO[ ESCOLHIDO PELO DESTINO], A DERRADEIRA …MORADIA…..A ISSO DEVERIA SER CHAMADO, …………….

  3. Ótimo post. Li esse texto por indicação depois que fiz um post sobre esse costume em terras chilenas. Fiquei bem surpresa quando soube que essa tradição era comum aqui, pois nunca tinha me deparado com as famosas casinhas. Gostei muito de saber. Abs!

  4. Uma cruz, uma lembrança de um sofrimento repartido entre o morto e seus familiares e amigos,.uma fé naquele que morreu na cruz e se tornouo símbolo do sofrimento não merecido, ofercendo ao amigo com ele crcificado a certeza da salvação.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s