No País dos Mãos Molengas

O Celophane Cultural visita a Cidade “lindamente linda” de Olinda em Pernambuco e lá um simpático museu  tenta a duras penas preservar uma tradição popular muito importante o Mamulengo:

Os Mãos Molengas – Origem do nome:

Mãos moles, molengas, como diz o matuto, originam a denominação de mamulengo ao teatro de bonecos, comumente apresentado com cabeça esculpida em madeira e o corpo em tecido com forma de luva. Expressão de um povo em forma de bonecos. Um povo bravo, irreverente e ‘safadoso”.

Museu do mamulengo - Foto: JeffCelophane

Nas décadas de 50 e 60, praticamente todo o Nordeste brasileiro se divertia diante dos bonecos que surgiam por trás do pano esticado, nas feiras, nos pátios de colégios, nas tradicionais festas de rua, nos terreiros das casas grandes de engenho, assim como nas residências de pessoas humildes, que juntavam os vizinhos em suas salas para assistirem aos bonecos. A freqüência dessas apresentações residenciais, sempre foi maior na zona rural, ficando nas cidades a preferência pelas feiras e praças, sendo essa última muito utilizada na festa do padroeiro, no seu lado profano.

Museu do mamulengo - Foto JeffCelophane

Os personagens e estórias são baseados no cotidiano, nos mitos e nas crenças do fantástico imaginário popular. Demônios, almas penadas, morte, santos, padres, cangaceiros, doutores e políticos desfilam num vasto repertório.

Mas de onde vem esta tradição?

A arte dos bonecos vem da Idade Média, onde estórias, personagens populares, rei e rainhas, críticas sociais e os mitos se apresentavam em praça pública em pequenos palcos ou carroças. Hoje a formula é a mesma, mas com o inconfundível toque Brasileiro e sobretudo Nordestino.

Em Olinda, Pernambuco, o Museu do mamulengo – Espaço Tiridá se apresenta como um reino lúdico habitado pelos mais diferentes bonecos do estado. O nome do museu vem do boneco Professor Tiridá, criação de Mestre Ginu que simboliza a sabedoria popular.

Museu do mamulengo - foto JeffCelophane

Mestre Ginu:

Januário de Oliveira, o Mestre Ginu, foi um dos mais notáveis artistas populares brasileiros. Era conhecido também como Professor Tiridá, nome do seu boneco mais conhecido. Nascido em Recife, a 19 de setembro de 1910, teve seu primeiro contato com a arte titeriteira aos 17 anos, através do Doutor Babau, de quem aprendeu todos os passos da brincadeira, desde a confecção dos bonecos até a criação e interpretação das histórias. Segundo relata o pesquisador Fernando Augusto Gonçalves no seu livro Mamulengo: Um povo em forma de bonecos, o primeiro contato de Ginu com aquele que viria a ser seu mestre, se deu de forma pitoresca. “Eu tinha largado do emprego e vinha pra casa almoçar. Quando ia atravessando a Ponte da Boa Vista, vi um velho preto e gordo esculpindo num pedaço de pau, um boneco. Então, eu parei para ver. Ele me disse: sai menino daqui, vai pra tua oficina, tu aqui num tá ganhando nada. Isso aqui é coisa pra gente pobre”, afirmou o mamulengueiro. Saiba mais sobre o Mestre Ginu

O Defensor

O rico acervo foi formado há 12 anos por Fernando Augusto Gonçalves (Bonequeiro, um dos fundadores do Mamulengo So Riso, encenador, cenógrafo e pesquisador) e doado a Prefeitura de Olinda que funciona num casarão no centro histórico.

Mamulengo Só Riso

Oh LInda! Capital dos Bonecos

Não foi por acaso que se elegeu a cidade de Olinda ( PE), ” Pratrimônio Natural e Cultural da Humanidade”.Por ela fazer parte de um mundo muito especial,privilegiada por sua natura ,cuja situação deu origem ao seu nome.Cidade fêmea continua parindo muros e homens que produzem uma cultura marcante desde o século XVI na arte erudita e popular.
Nesse sentido,desde a era colonial e voz de Olinda ultrapassou suas muralhas para ser ouvida no país e no mundo.

E foi o povo de Olinda que no seu conceito mais puro deixou as pegadas do seu caminho, na arquitetura, nos movimentos políticos, reliosos, artísticos e populares. Desde o início foi e contunua sendo uma cidade de poetas e artistas: eles falam melhor da nossa cidade do que nós. São eles que definem através do tempo a nossa identidade cultural e a nossa memória.

Olinda é conhecida também como a cidade dos bonecos: bonecos gigantes, bonecos pequenos, mamulengo e fantoches que traduzem e cantam seus sonhos, suas alegrias e suas tristezas. Nesse universo mágico nossa cidade abriga o primeiro e mais importante  museu de bonecos da América Latina, cujo acervo é considerado uma preciosidade,com bonecos do século XIX aos contemporâneos.
Este é um registro importante da artes do mamulengo, da história dos seus artistas e de seus brincantes. É também o reconhecimento e um trabalho pioneiro de resgate das nossas mais puras manifestações populares.”

Tereza Costa Rêgo
Diretora do Museu do Mamulengo

A Nova e provisória morada

Durante 10 anos, o museu funcionou em um belo casarão na Rua do Amparo. Em 2010, por problemas de cupim que abalaram  a estrutura do prédio e colocavam em risco o acervo de bonecos em madeira e tecido, teve seu endereço mudado para o atual. Recentemente a prefeitura de Olinda, que mantém o local, conseguiu recursos para recuperar a sede original.

Rua de São Bento, 344, Sítio Histórico de Olinda – Pernambuco

De terça a domingo, das 09 às 17h. Entrada: R$1,00

(81) 3429-6214 / museumamulengo@bol.com.br

Fontes:

Matéria Original feita com a minha colaboração no Blog: Cajumanga

Site Overmundo

Site do Ponto de Cultura – Associação Pernambucana de Teatro de Bonecos

Fotos: Museu do Mamulengo por Jeffcelophane

“Só pode brincar mamulengo se for poeta”

Mestre Luís da Serra
Mamulengueiro Pernambucano

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s