Download ‘de grátis’ – Conhece o Qinho?

Quando fazemos um apanhado do cenário atual da música brasileira, é notável a importância dos avanços tecnológicos, que permitiram o surgimento de artistas e bandas apoiados em iniciativas independentes, correndo por fora da enferrujada mídia tradicional.

A internet permitiu o acesso à programas de gravação e edição sonora a um clique de distância, e promoveu uma troca de informações e experiências antes impossíveis alguns anos atrás. E é nesta seara que estão nascendo as melhores produções que o Brasil já escutou.

Este é o caso de Marcos Coutinho, artisticamente batizado de Qinho (sem a letra ‘u’, mesmo), compositor e cantor carioca. Ele vem realizando trabalhos ao lado de gente cujo desejo é fazer da arte algo que ultrapasse  o lugar-comum da apreciação, um canal que propicie inspiração para abraçar o novo e provocar mudanças.

Qinho é um dos idealizadores do projeto Dia da Rua, realizado em 2008 e 2009, onde mais de 30 bandas cariocas se uniram em shows simultâneos e gratuitos nas ruas dos bairros do Leblon e Ipanema, convidando as pessoas a lançar um novo olhar sobre o potencial da relação entre a arte e os espaços urbanos. Estes eventos foram uma oportunidade de mostrar à cidade o quanto está se perdendo ao ficar em casa, consumindo os pasteurizados do Chef Faustão.

MENOS É MAIS

Na ativa desde 2004, com a banda Vulgo Qinho e Os Cara, além de mais três outros projetos paralelos, lançou em 2009 o seu primeiro disco solo. O trabalho possui composições próprias que falam de amor, sem cair na pieguiçe. “Canduras” foi gravado em casa, com recursos mínimos como por exemplo, microfones de computador, o que resultou num clima intimista, acompanhado de percussão, instrumentos de sopro e baixo acústico, em arranjos simples.

BAIXE O DISCO:

Chega de apresentações, não é mesmo? Pra baixar o disco, é só clicar na capa dele aí embaixo, e digitar o seu login e a sua senha do Facebook, ou do Twitter. Saiba mais neste link: (Como baixar música no blog).

PROJETO NOVO

Este ano, o Qinho lançou seu novo disco, chamado “O Tempo Soa”, com uma sonoridade mais encorpada, pela presença de uma banda composta por integrantes da Abayomy Afrobeat Orquestra, além de participações de nomes como Mart’nália, Elba Ramalho e Amora Pera (filha de Gonzaguinha e integrante das Chicas).

As músicas mantêm um retrato sensível das idas e vindas sentimentais, agora sob um tempero mais dançante e quente, sinceramente brasileiro e black, bebendo da fonte de nomes como Jorge Benjor, Banda Black Rio e Hyldon, como em “Irmã Forte”, dueto com Amora Pera:

Nós incentivamos fortemente que você procure “O Tempo Soa” nas melhores lojas, por quatro motivos:

1 – Qinho só liberou online o seu primeiro trabalho solo.

2 – “O Tempo Soa” acabou de ser lançado e nem é tão caro. Sem falar que o disco em si é praticamente um exemplar de colecionador, pelo cuidado com a apresentação visual. Confira como ficou o design da embalagem clicando aqui.

3 – Apesar de estarmos inseridos numa cultura amplamente digital, a gente curte dar uma força ao trabalho do artista. Sem falar que a qualidade do som na versão física é infinitamente superior ao MP3.

4 -Nós gostamos muito de música para ouvi-la com amplitude, não compactada. Sorry, arquivos digitais, mas é verdade. Vocês são apenas práticos e são ótimos cartões de visitas dos artistas.

Beijos, nos liguem.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s