Pausa para um cafezinho elegante

Chegamos ao final de semana, e ao sair do trabalho, o que a maioria das pessoas têm em mente é uma lista interminável de opções para cair noite adentro com os amigos e seus pares. Mas o que muita gente acaba esquecendo é que antes de enfrentar as baladas, o estômago necessita de um cuidado todo especial. Que tal um jantar leve, num local aconchegante, com um atendimento simpático?

Nas minhas andanças pelo Recife Antigo, invariavelmente termino no Paço Alfândega, seja para admirar sua bonita arquitetura, seja para apreciar a vista da cidade a partir de seu terraço. Há dois meses, um novo estabelecimento localizado num andar entre o térreo e o complexo de lanchonetes e restaurantes, abriu uma cafeteria elegante e convidativa, chamada Kampalla Café.

O local possui um visual cosmopolita que não fica nada a dever aos cafés dos grandes centros urbanos. A decoração remete aos charmosos estabelecimentos italianos, sutilmente inspirado numa estética retrô amparada no final da década de 60 e início da de 70, sem parecer estilizado. O café oferece duas opções de ambiente. Para quem deseja ficar quieto ou bater um papo mais tranquilo, a área interior é a mais indicada. Para quem gosta de movimento, basta escolher uma das mesas espalhadas pelo hall do primeiro andar, com uma vista privilegiada do vai-e-vem do público do Paço Alfândega e suas pilastras históricas.

Entre as especialidades está uma considerável lista de cafés (óbvio), em suas mais amadas variantes, como o capuccino, o espresso, as versões geladas, como o shake com sorvete, chás,  além de pratos salgados como sanduíches, crepes e massas,  e os doces, apresentados em receitas elaboradas para os paladares mais exigentes.

Para quem curte algo mais light, o Kampalla Café possui um menu de sopas, e eu resolvi cair no caldo verde. A cumbuca acompanha cinco torradinhas douradas no ponto, perfeitas para serem molhadas na mistura cremosa, que une os sabores do couve com um toque de azeite e calabresa.

Entre o pedido e a chegada da iguaria na minha mesa, foram apenas oito minutinhos, acompanhados de um atendimento sorridente e atencioso, que foi o que mais me chamou a atenção. Se você gosta de frequentar estabelecimentos comerciais, sabe exatamente a diferença entre sorrisos de vitrine e os sorrisos sem preço. A turma do Kampalla pertence ao segundo time, daqueles cuja simpatia julgávamos extinta e só ouvíamos em relatos dos nossos pais e avós, saudosos do tempo em que as pessoas eram atendidas pelo nome em tais locais.

Voltando à sopa, ela vem numa temperatura perfeita pra aquecer o coração sem queimar sua língua. A textura é cremosa e o gosto é equilibrado: nem salgado, nem insosso. A presença da calabresa dá o toque necessário para realçar o sabor.

As cinco torradinhas que acompanham são crocantes sem ser secas. O curioso é que elas compõem uma refeição satisfatória junto com o caldo, ideal para a noite. Para quem deseja comer de acordo com as recomendações calóricas dos especialistas, o combo sopa + torradas é suficiente para uma alimentação sem culpa com a balança. Mas aqueles que apreciam a gastronomia irão deseja uma porção um pouco maior de um prato tão gostoso.

Ao final de tudo isso, me deu vontade de provar um prato doce. “Mas e a balança?” Entre as diversas opções que encontrei, um bolo de limão bastante diferente dos outros me chamou a atenção, por sua aparência e ingredientes.

Grande, fofo, vistoso: Quem poderia imaginar que esta aquarela de cores e sabores é feita com iogurte natural, gelatina de limão, ovos e os demais ingredientes que conhecemos tão bem? De consistência leve, ele desmancha na boca e nos deixa satisfeitos na quantidade certa.

Ao fim da refeição, fica a vontade de voltar mais vezes e fazer do Kampalla um ótimo ponto de encontro para reunir os amigos, ler, inspirar-se ou esperar entre um evento e outro da programação do Paço Alfândega.

O Kampalla Café funciona das 10h às 22h. Dê uma passada por lá e se apaixone.

Anúncios